sexta-feira, 17 de junho de 2011

Arcano XX (20) - O Julgamento



20o ARCANO – O JULGAMENTO (A Ressurreição)

   

O 20º Arcano representa a passagem da vida terrestre à vida futura. Um Gênio toca uma trombeta acima de um túmulo que se entreabre. Um homem, uma mulher e uma criança, símbolo da trindade humana, levantam-se do seu túmulo. É o sinal da mudança que é o fim de tudo, do Bem como do Mal.


 
O Arcano 20 é o da Ressurreição dos Mortos. Realmente a Ressurreição da Alma só é possível por meio da Iniciação Cósmica. Os seres humanos estão mortos e só podem ressuscitar por meio da Iniciação.



 
Letra hebraica: Resch
Horário: Onze Horas de Apolônio. Os anjos, os querubins e os serafins voam com rumores de asas; há regosijo no céu, desperta a terra e o sol surge de Adão (este processo pertence às grandes iniciações de Mistérios Maiores, onde só reina o terror da lei).
Signo: Capricórnio
Planeta: Marte


Axioma transcendente:

“Flor na macieira, fruto na videira semeado na madureza”.


 
“Lembra-te, filho da Terra, que toda fortuna é móvel,
mesmo a que parece mais estável.
A ascensão da alma é o fruto que deves tirar das suas provas sucessivas.
Espera no sofrimento, porém desconfia na prosperidade.
Não te adormeças nem na preguiça, nem no esquecimento.
Num momento que ignoras, a roda da fortuna vai virar
e serás elevado ou precipitado pela Esfinge”.

"A ressurreição no ato de despertar a espiritualidade."
©Iglesias Janeiro

RESH
O mistério da autonomia de cada ser vivente.
Princípio do intelectível, da deliberação, da opinião, da decisão;
a vida como sucessão das formas e os atos como sucessão das idéias.

Capricórnio morada de Marte
Lua





PREDIÇÃO: Promete eleições harmoniosas, iniciativas afortunadas, trabalhos, ganhos. Compensações pelo bom e pelo mau. Amigos fiéis que anulam a ação dos amigos traidores. Ciúmes pelo bem que se desfruta. Aflições por perdas.

Esta Lâmina significa despertamento, surpresa, brilho, destruição. Separação entre passado e futuro, analisando-se criticamente os erros do passado e projetando os acertos para o futuro.


Significados simbólicos


Os julgamentos essenciais, a avaliação dos rumos da existência.
O despertar. Exame de consciência. Sopro redentor.
 
Renovação. A promessa da vida eterna.

Mensagem: Momento para reflexões, olhe para o seu interior antes de julgar o próximo. Não julgue para não ser julgado, lembre-se colhemos aquilo que plantamos.





A Ressurreição representa o fim de a série de trabalhos realizados neste setênio. A síntese que trará a metamorfose, como a borboleta em seu casulo, preparando-se para voar. Mostra um processo de metabolização interna.

É como se você fosse um boneco que você foi ao longo dos últimos sete anos, que você foi recheando com conhecimentos, instrumentos, dons desenvolvidos, capacidades, personagens, frustrações. E agora como se tudo fosse parafina, você está colocando numa grande panela, derretendo tudo, purificando, clareando e sintetizando numa nova forma, formando um novo boneco. Uma nova pessoa que nasce agora muito mais integrada com o ambiente. É como o Eremita, depois de um processo de integração a pessoa renasce dentro de situações onde ela se identifica mais. Porque a síntese da carta 20 se refere basicamente aos papéis identificados na carta 18, Ela sempre é uma conclusão de um processo de integração.

        

É uma carta que indica que de um tempo pra cá você vem renascendo. É uma carta forte, em termos de integração, de ter encontrado um canal de identificação, para ter uma participação mais ativa na sociedade.

Exemplos de Associações com as posições do método do Mapeamento Psíquico:

Nas posições centrais: É uma carta em geral muito morosa, também aparece na transição dos setênios, podendo ficar até 3 a 4 anos no jogo. Neste caso, ela pode gerar ansiedade, porque o processo de síntese interna é muito grande e o renascimento às vezes demora.

Nas posições periféricas (terceira camada): A pessoa já está renascendo, já está no final do processo. Sempre trazendo mudanças.



 
Interpretações usuais na cartomancia

Entusiasmo, exaltação emocional, intensidade dos sentimentos, espiritualidade. Capacidades ocultas, dom de adivinhação.
Atos prodigiosos, medicina milagrosa. Santidade, doação.
Renovação, nascimento, retorno de assuntos do passado ou sua atualização. Recados, propaganda, proselitismo, apostolado.
Estar sujeito à avaliação de outros, ser julgado por suas ações.




Plano Espiritual ® A iluminação interior, o despertar das forças latentes, a inspiração em ato. ©Iglesias Janeiro



O pássaro Utchet, com cabeça humana. Transferindo a alma de uma vida a outra.



Plano Mental ® A revelação da genialidade, o estímulo sobre as coisas mais elevadas, a conversão do inferior sobre o superior.©Iglesias Janeiro



A múmia é o símbolo da reencarnação. Representando a conclusão de um processo. Fim de uma etapa e reinício de uma nova vida.



Plano Material ® Tende aos processos que estabelecem uma harmônica correspondência entre a subconsciência e a consciência, entre o moral e o material, entre o que sentimos, pensamos e fazemos. ©Iglesias Janeiro



Uma pira, uma pequena lareira, com um recipiente onde os egípcios derretiam os bálsamos na preparação da múmia. É o símbolo da preparação de um novo ser.






XX. O Julgamento
O Arcano da Ressurreição



 
Tarô Marselha
(Baralho de Camoin-Jodorowsky)
Tarô de Marselha
(Baralho de Kris Hadar)
(edição Grimoud)
Tarô de Marselha
(Baralho de Oswald Wirth)



Na parte superior da carta, rodeado de nuvens, um anjo toca uma trombeta. Na parte inferior, três personagens nus – um dos quais, o do centro, está de costas – parecem estar em atitude de oração. Uma terra árida se estende por trás deles.

O personagem que está de costas emerge de uma espécie de sarcófago; seus cabelos são azuis e tem uma tonsura. Dos seus lados, visíveis somente até a cintura e representados de três quartos, os dois personagens restantes – uma mulher à esquerda e um homem com barba, à direita – parecem olhar para a figura do centro. Têm as mãos juntas, como numa prece.

Sobre um céu incolor, o anjo está rodeado de um circulo de nuvens azuis, das quais saem vinte raios: dez são amarelos; os outros dez, vermelhos. De suas vestes vê-se apenas um corpete branco e umas mangas azuis (ou vermelhas, em algunas versões). Segura a trombeta com a mão direita, que está próxima da boca; à esquerda apenas a toca, segurando um retângulo com uma cruz.




Mental: O homem convocado a um estado superior; tendências e desejos de elevação.
Emocional: Devoção, exame de consciência.
Físico: Estabilidade nos assuntos que estão encaminhados. Saúde e equilíbrio.

Sentido negativo: Erro em relação a si mesmo e a todas as coisas; provas e trabalhos que resultarão de um juízo falso. Vacilação espiritual, ofuscamento da inteligência. Bobo evocador de fantasmas.
Ruído, alvoroço, agitação inútil.



 

*Não há a expressão nos mundos divino, intelectual e físico.



Lâmina 20 – O JULGAMENTO (A Ressurreição)




Eu já disse que este símbolo é essencialmente invariável em todos os baralhos de Tarô, ou que, pelo menos, as variações não lhe afetam o caráter. O grande anjo está aqui rodeado por nuvens, mas toca a trombeta embandeirada, e a cruz, como de hábito, aparece na bandeira. Os mortos levantam-se dos túmulos: uma mulher à direita, um homem à esquerda e entre eles seu filho, que está de costas. Nesta carta, porém, há mais do que os três que foram restaurados, e achou-se que valia a pena fazer essa variação para mostrar a insuficiência das explicações habituais.
Deve-se notar que todas as figuras expressam em sua atitude assombro, adoração e êxtase. É a carta que registra a consecução do grande trabalho de transformação em resposta aos apelos do Supremo, apelos ouvidos e respondidos no íntimo.
Há nisso a sugestão de uma significação que não pode ser levada além presentemente. O que é que dentro de nós faz soa ruma trombeta e tudo que há de inferior em nossa natureza se ergue em resposta, quase em um momento, quase em um piscar de olhos? Deixemos que a carta continue a significar, para aqueles que não podem ver além, o Juízo Final e a ressurreição do corpo natural; mas deixemos aqueles que têm olhos para o interior olharem e descobrirem o que ali se contém. Eles compreenderão que ela foi com razão no passado chamada a carta da vida eterna, e por esse motivo, pode ser comparada com aquela apresentada sob o nome de Temperança.

20. O Juízo Final — Mudança de posição, renovação, resultado. Outra interpretação especifica: perda total em uma demanda.
 
Invertida: Fraqueza, pusilanimidade, simplicidade; também deliberação, decisão, sentença.


Arquétipo: A arrecadação do tesouro, a solução, o beijo salvador.
Sentido geral: Ressurreição, reanimação, vitória do bem, nascimento suave ou liberação, o verdadeiro.
Profissão: Bom término, solução, vocação.
Relacionamento: A verdadeira união, o “tesouro”.
Consciência: Entendimento maduro, profundo, liberdade.
Sentido Espiritual: Tomar conhecimento da natureza divina.
Objetivo: Libertação da sorte até o momento (libertação).
Sombra: “Tempestade em copo d’água”.
Carta Invertida: Auto-ilusão, aprisionamento.
20 como quintessência: O caminho libertador da solução e da arrecadação do tesouro, que leva à profunda gratidão e à confiança na voz interior (2 + 0 = 2 e 2 = A Grande Sacerdotiza)









5 comentários: