sexta-feira, 17 de junho de 2011

Arcano XVI (16) - A Torre Fulminada





16o ARCANO – A Torre (A Torre Fulminada/A Casa de Deus)


   



O 16º Arcano é figurado por uma torre destruída pelo raio. Um homem coroado e um homem sem coroa são precipitados do seu cimo com os fragmentos da sua fortificação. É o símbolo do conflito das forças materiais que podem esmagar tanto os grandes como os pequenos, os reis como os seus vassalos. É ainda o emblema das rivalidades, de um lado e de outro, à ruína comum; dos projetos inutilizados, das esperanças mortas, dos empreendimentos abortados, das ambições fulminadas, das mortes por catástrofe.

A saída do Éden coincide com o Arcano 16. Devemos entender o Éden ou Paraíso como sendo o próprio Sexo. Saímos pelas portas do Sexo e somente pelo Sexo poderemos retornar.

O Arcano no16 é muito perigoso. É necessário Despertar a consciência para não andar às cegas. Os cegos podem cair no Abismo.

O iniciado que derrama o vaso de Hermes (que ejacula), cai inevitavelmente.

A luta entre cérebro, coração e sexo são terríveis. Se o sexo domina o cérebro, a estrela de cinco pontas, o pentagrama fica invertido e o homem se precipita ao Fundo do Abismo com a cabeça para baixo e suas duas pernas para cima. Cai fulminado com o Arcano 16. O que se deixa cair, cai com o Arcano 16 que é a Torre Fulminada. São aqueles que fracassaram na Grande Obra do Pai.



Letra hebraica: Ain
Horário: Sétima Hora de Apolônio. O fogo reconforta os seres inanimados, e se algum sacerdote, homem suficientemente purificado, o rouba e logo o proteja, se o mistura com o óleo santo e o consagra, conseguirá curar todas as enfermidades somente aplicando-o à parte afetada (aqui o iniciado vê a sua fortuna material ameaçada e seus negócios fracassam).
Signo: Virgem
Planeta: Mercúrio


Axioma transcendente:

“Luz da manhã, Luz do meio-dia, Luz do anoitecer,
o que importa é que seja Luz”.

“Lembra-te, filho da Terra, que toda prova do infortúnio,
aceita com resignação à Suprema Vontade do Onipotente,
é um progresso realizado de que serás recompensado eternamente.
Sofrer é trabalhar para desembaraçar-se da Matéria,
é revestir-se de imortalidade”.



"A Fragilidade no ato de consumar os desígnios da divina providencia."
©Iglesias Janeiro



AIN

O mistério da severa vigilância.
O princípio do inescrutável, do temporal, da morte
com causa determinante da evolução dos seres e das coisas.




Virgem morada de Mercúrio
Marte




PREDIÇÃO: Promete acidentes imprevistos, tempestades, comoções e mortes. Benefícios por conceitos de circunstâncias boas ou más. Reciprocidade: no amor e no ódio, na indiferença e no ciúme, na traição e na lealdade.

Esta Lâmina significa queda, catástrofe, ruína. Destruição, transformação radical dolorosa, fim de algo, renovação, obstáculos, coragem, combate, autocrítica.



Significados simbólicos



Rompimento das formas aprisionadoras, liberação para um novo início. Desafios dos momentos de transição.


Destruição da rigidez. Abertura. Conhecimento.
Desmoronamento e queda.

Mensagem: Você terá que renunciar a algumas coisas em favor de outras. Tudo isso será necessário para que obtenha as transformações que tanto deseja.




Realizar a missão individual é realizar sua essência, que é única, individual. Para isso, é necessário libertar-se dos falsos valores. É preciso se libertar das ilusões de que precisamos, que temos que ter, ou fazer isso ou aquilo. Tudo o que é alem à expressão dos nossos dons e do conhecimento inerente ao nosso ser é superficial. A Fragilidade ou a Torre representam a libertação das dependências e de todas aquelas desculpas que colocam para prorrogar de assumirmos a nossa Tarefa Kármica: A Realização do nosso Indivíduo.

Você estava contando com uma estrutura que funcionou como um grande ovo. Dentro dela, você tinha suas necessidades garantidas, estava protegida (o) e crescendo. Com todo esse conforto, você cresceu e cresceu, e agora aquela estrutura velha, não te serve mais. A comida já não te satisfaz, e está prestes a acabar, e com a casca quebrada, a proteção acabou. Ou seja, a estrutura antiga não produz o que você necessita agora, e manter essa interdependência te impede te continuar crescendo e se desenvolver em outros aspectos que você quer agora.

Agora está na hora de quebrar casca e mostrar quem você é. Você tem tudo o que precisa e não precisa de nada e de ninguém. Pode contar consigo mesmo. Saindo da proteção você vai perceber que não tem mais desculpas a dar. Não precisa mais se esconder atrás de impossibilidades. Agora tudo é possível, recrie sua vida. Seu ser é dotado de talentos e conhecimentos que você traz no seu DNA ou das suas vidas passadas. E seus interesses grados pelos seus dons, já fizeram você rechear uma biblioteca de novos conhecimentos adquiridos nessa vida. Portanto, reveja sua vida e reconheça suas próprias armas. Elas são genuínas e você sempre vai poder contar com elas.

Muitas pessoas se assustam com essa carta, porque as bases antigas que não servem mais se quebram, querendo nós ou não. Depende da consciência que você tem da sua vida fica mais fácil viver, pelo menos a gente não fica tão à mercê dos acontecimentos. Quando a pessoa não percebe que está dependente, nestas rupturas pode sofre mais, pois vinha se apoiando em estruturas alheias, e quando estas se quebram, a pessoa se sente desprotegida.

Porém, temos tudo para desenvolver nossas próprias proteções. Mãe é bom, e sempre vamos encontrar uma dentro de nós mesmos. Carências temos que resolver com essa mãe interior. E não com o namorado ou a namorada. Esses são para crescer, construir, criar e amar.

        

Numa relação afetiva quando nós estamos mais seguros e percebemos que não estamos dependentes do companheiro. Por exemplo, em um casamento: Não quer dizer separação. Se ela aparece, no momento quer dizer que o casamento pode estar em crise pois está se rompendo aqueles pactos que vêem junto das dependências. E assim a relação passa a ser questionada.



Interpretações usuais na cartomancia

Alterações, subversões, mudanças, debilidades. Libertação da alma aprisionada; conhecimento súbito. Parto, crise saudável.
Modificação traumática, separação repentina. Perdas, insegurança. Desconfiança em si mesmo, inquietação provocada por negócios arriscados.
Benefício recebido devido aos erros de outras pessoas. Austeridade, uma tendência à timidez. Temperamento piedoso, religiosidade prática que não deprecia o material.




Plano Espiritual ® O despertar do entendimento por virtude da aflição que comove o animo, a luz do superior fazendo-se sensível no inferior. ©Iglesias Janeiro



O raio quebrando a torre, mostra que para passar de fase são necessárias as rupturas, se esta não for espontânea, ocorreram situações que sincronicamente irão provocar as quebras.



Plano Mental ® A nulidade dos valores materiais, a indigência das conquistas intelectuais, a aprendizagem da sabedoria.©Iglesias Janeiro



A ruptura da coluna significa a libertação do espírito de Osíris para a reencarnação. Ressaltando a necessidade de romper com bases antigas.



Plano Material ® Tende aos processos aflitivos, o rigor e a severidade, o que em forma desperta os poderes latentes e desvanece os sonhos por valores temporais.©Iglesias Janeiro



Na base da coluna duas cobras, dentro da base tem os três instrumentos, normalmente colocados na mão do morto para que ele construa sua casa no outra vida, mostrando que o crescimento está impedido pela coluna.





XVI. A Torre ou Casa de Deus
O Arcano da Libertação e da Construção



 
Tarô Marselha- Camoin
Tarô de Marselha
(Baralho de Grimaud)
Tarô de Marselha
(Baralho de Oswald Wirth)



O céu está coberto de esferas coloridas; dois homens caem de uma torre fulminada por um raio. A torre – localizada num terreno montanhoso, do qual brotam seis plantas verdes – tem três janelas azuis; a maior delas parece estar num andar mais alto que as outras. Não aparece a porta de entrada, na edição Grimaud.

Um raio com várias cores, linhas exuberantes, decapita o edifício, que é arrematado por quatro ameias. Sobre o fundo incolor do céu podemos contar 4 esferas na parte superior, 14 esferas à esquerda, 19 esferas à direita.

Um dos homens está caindo na frente da torre; do outro, mais atrás, vê-se apenas a parte superior do corpo, à direita da gravura. Os dois estão de perfil. No Tarô clássico, não aparecem tijolos ou pedras caindo sobre os homens, de modo a colocar suas vidas aparentemente em risco.

As pequenas manchas que se observam no chão, na frente da torre, não têm uma definição clara: podem ser pedras, líquido, pegadas.





Mental: Indica o perigo que pode haver em perseverar em certa direção, em manter uma idéia fixa. Advertência para evitar tropeços e total aniquilamento dos planos em andamento.

Emocional: Domínio sobre os seres, mas sem caridade nem amor, já que se exerce com despotismo. Tarde ou cedo, sofrerá uma rejeição afetiva.

Físico: Projeto brutalmente abortado. Sinal ou anúncio não levados em conta; deve precaver-se nas atividades e negócios.

A chama que decapita a torre pode ser interpretada, no entanto, como uma liberação. Do ponto de vista da saúde: não passar os limites das forças vitais, já que uma grave enfermidade espreita. Se há alguma enfermidade, indica o restabelecimento depois de um período penoso.



Sentido negativo: Grande cataclismo, confusão completa. Enfermidade. Falta castigada, catástrofe produzida por imprudência. Maternidade clandestina. Escândalo, hipocrisia desmascarada. Excesso, abuso. Presunção, orgulho. Empreendimentos utópicos.



Este Arcano exprime:

No MUNDO DIVINO O castigo do orgulho.
No MUNDO INTELECTUAL O desânimo do Espírito que tenta penetrar no mistério de Deus.
No MUNDO FÍSICO As perdas de fortuna.


Lâmina 16 – A TORRE (A Torre Fulminada)





As explicações ocultistas atribuídas a esta carta são fracas e em sua maioria desconcertantes. Seria ocioso salientar que ela representa a ruína em todos os seus aspectos, pois isso se evidencia superficialmente. Fala-se, além disso, que ela contém a primeira alusão a um edifício material, mas não concebo que a Torre seja mais ou menos material do que as colunas que vimos em três casos anteriores. Nada vejo que sustente Papus em sua suposição de que se trata literalmente da queda de Adão, porém há mais a favor dessa alternativa: que ela signifique a materialização da palavra espiritual. O bibliógrafo cristão imagina que se trata da queda do espírito, procurando penetrar o mistério de Deus. Antes concordo com o Grande Oriente, no sentido de que se tratada ruína da Casa da Vida, quando o mal ali prevaleceu, e acima de tudo que é a destruição de uma Casa de Doutrina. Acho, contudo, que a referência é a uma Casa da Falsidade. Mostra também de maneira mais compreensiva a velha verdade de que, a não ser quando o Senhor constrói a casa, trabalham em vão aqueles que a constroem.

Há um entendimento de que a catástrofe é um reflexo da carta anterior, mas não no sentido do simbolismo que ali procurei explicar. E, mais corretamente, uma questão de analogia; uma diz respeito à queda no estado material e animal, ao passo que a outra significa destruição no lado intelectual. Tem-se falado da Torre como o castigo do orgulho e o intelecto esmagado na tentativa de penetrar no Mistério de Deus; mas nenhuma dessas explicações atenta para as duas pessoas que são sofredores vivos. Um é a palavra literal tornada vã e o outro é a sua falsa interpretação. Em um sentido mais profundo, todavia, pode significar também o fim de uma isenção, mas não há aqui possibilidade de considerarmos essa intricada questão.



16. A Torre — Miséria, desamparo, indigência, adversidade, calamidade, desgraça, decepção, ruína. E em particular uma carta de catástrofes imprevistas.

Invertida: Segundo uma interpretação, o mesmo, em grau menor; também opressão, aprisionamento, tirania.




Arquétipo: Tremor de terra. Destruição.
Sentido geral: Transformação, catástrofe, abalo, acidentes, esperança fracassada, “explosão de uma bomba”, um monte de destroços.
Profissão: Despedida. Escândalo. Troca súbita de emprego.
Relacionamento: Separação surpreendente. Notícia chocante.
Consciência: Fracasso das idéias fixas. Conhecimentos rápidos como um raio.
Sentido Espiritual: Rompimento de conceitos rígidos.
Objetivo: Despertar para a liberdade.
Sombra: Vontade de destruir. Crueldade.
Carta Invertida: Declínio da inteligência.
16 como quintessência: O abalador caminho do conhecimento e da surpreendente libertação que leva das velhas cristalizações para um novo despertar.



*Como já havia dito, estes textos foram extraídos de livros de Tarot e de alguns sites da internet.











3 comentários:

  1. Esse texto é meu Nelise Vieira www.tarotdoor.com
    Realizar a missão individual é realizar sua essência, que é única, individual. Para isso, é necessário libertar-se dos falsos valores. É preciso se libertar das ilusões de que precisamos, que temos que ter, ou fazer isso ou aquilo. Tudo o que é alem à expressão dos nossos dons e do conhecimento inerente ao nosso ser é superficial. A Fragilidade ou a Torre representam a libertação das dependências e de todas aquelas desculpas que colocam para prorrogar de assumirmos a nossa Tarefa Kármica: A Realização do nosso Indivíduo.

    Você estava contando com uma estrutura que funcionou como um grande ovo. Dentro dela, você tinha suas necessidades garantidas, estava protegida (o) e crescendo. Com todo esse conforto, você cresceu e cresceu, e agora aquela estrutura velha, não te serve mais. A comida já não te satisfaz, e está prestes a acabar, e com a casca quebrada, a proteção acabou. Ou seja, a estrutura antiga não produz o que você necessita agora, e manter essa interdependência te impede te continuar crescendo e se desenvolver em outros aspectos que você quer agora.

    Agora está na hora de quebrar casca e mostrar quem você é. Você tem tudo o que precisa e não precisa de nada e de ninguém. Pode contar consigo mesmo. Saindo da proteção você vai perceber que não tem mais desculpas a dar. Não precisa mais se esconder atrás de impossibilidades. Agora tudo é possível, recrie sua vida. Seu ser é dotado de talentos e conhecimentos que você traz no seu DNA ou das suas vidas passadas. E seus interesses grados pelos seus dons, já fizeram você rechear uma biblioteca de novos conhecimentos adquiridos nessa vida. Portanto, reveja sua vida e reconheça suas próprias armas. Elas são genuínas e você sempre vai poder contar com elas.

    Muitas pessoas se assustam com essa carta, porque as bases antigas que não servem mais se quebram, querendo nós ou não. Depende da consciência que você tem da sua vida fica mais fácil viver, pelo menos a gente não fica tão à mercê dos acontecimentos. Quando a pessoa não percebe que está dependente, nestas rupturas pode sofre mais, pois vinha se apoiando em estruturas alheias, e quando estas se quebram, a pessoa se sente desprotegida.

    Porém, temos tudo para desenvolver nossas próprias proteções. Mãe é bom, e sempre vamos encontrar uma dentro de nós mesmos. Carências temos que resolver com essa mãe interior. E não com o namorado ou a namorada. Esses são para crescer, construir, criar e amar.



    Numa relação afetiva quando nós estamos mais seguros e percebemos que não estamos dependentes do companheiro. Por exemplo, em um casamento: Não quer dizer separação. Se ela aparece, no momento quer dizer que o casamento pode estar em crise pois está se rompendo aqueles pactos que vêem junto das dependências. E assim a relação passa a ser questionada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por contribuir em parte com este blog que somente visa a informação e diversas interpretações de cada arcano, extraídas de diversos livros tradicionais e alguns fragmentos extraídos de alguns sites, como no seu caso. Aliás parabéns pelo texto, que explicou tão bem este arcano.

      Excluir
  2. Interessante o raciocínio lógico em questão

    ResponderExcluir