terça-feira, 10 de outubro de 2017

Baralho de Tarô da Era de Aquário



Eis aí um baralho que segundo se diz, foi Saint Germain que o inspirou. Ou seja, Henrique José de Souza, teve uma visão dos 22 arcanos do Tarot da Nova Era de Aquário e foi dito a ele que este baralho seria vigente entre 2017 até cerca de 4005 d.C.



Aos 29 minutos deste vídeo (Cabalah e o Tarô da Nova Era) Adhemar Ramos nos diz: "A gente está abrindo este Tarot porque estamos na Nova Era... Tem que ser mostrado, não tem conversa, a Nova Era 'taí, e essa consciência tem que ser dada."



Arcano 1
O Unilateral
Arcano 2
A Expansão



        


Um Homem com duas caras, isto é, metade de um velho barbado (Ancião das Idades) e outra face de um Adolescente. O Homem está vestido com três (3) capas sobrepostas; sobre o corpo uma capa azul curta, atingindo a cintura apenas; uma capa intermediária de cor amarela, e uma externa, de cor vermelha.
Uma Dama ricamente trajada, com vestido de cauda. Dois Anjos a acompanhavam. Em baixo dos pés, há uma Meia Lua, em forma de serpente.
Arcano 3
A Realização
Arcano 4
O Reflexo de Deus




Uma Dama com a mesma cara da anterior, mas trazendo na cabeça uma Coroa. Na mão direita trazia uma espada e na esquerda uma bagueta. Quando passou por JHS mudou os dois objetos de uma mão para a outra.
Um homem de barba negra com um cetro na destra. No peito trazia o Tetragramaton. Ao passar por JHS fez menção de lhe dar o cetro, virando-o, porém, para o outro lado. Quando JHS quis aceita-lo, Ele lhe deu um livro aberto, em cuja capa notou escrito “Deva-Vani”.
Arcano 5
A Inteligência
Arcano 6
A Beleza





Este personagem tinha duas caras, como o primeiro. A Coroa que trazia na cabeça também era de dupla forma: metade coroa e metade mitra. No peito vinham duas cruzes pendidas de uma corrente misteriosa, metade feito um X e outra metade apontando para o lado direito.
Um Jovem era portador da Balança. Quando chegou à frente de JHS ela começou a oscilar, até que ficou em equilíbrio.
Arcano 7
O Vencedor
Arcano 8
A Lei





Num carro de ouro vinha o personagem da Dupla Face do Arcano 1. Atrelados ao Carro, em vez de duas Esfinges, vinham um Boi e um Touro. Na frente havia uma águia e um anjo (os 4 animais da Esfinge?)
Uma mulher de cara vedada e de negro, trazia uma espada que ia ter ao interior da Terra, pois JHS a viu penetrando pelo assoalho a dentro.
Arcano 9
A Superação
Arcano 10
A Necessidade





Sob um telhado, um ancião orava de olhos fechados. No telhado estava escrito “Casa da Beatitude”.
Um macaco de um lado e um demônio de outro, faziam mover uma Roda. Esta chispava como se houvesse Fogo.
Arcano 11
A Coragem
              Arcano 12
O Sacrifício





Duas personagens se defrontam, como se estivessem em luta: uma tinha a cara de demônio (de kumara) e estava à esquerda. Outra,  a da direita, tinha cara e corpo de Anjo ou Deva. Ao passarem por JHS pararam a luta e ficaram alguns instantes a olhar para Akbel como quisessem que JHS dissesse alguma coisa. E JHS disse: Vim, Vi e Venci.
Um estrado de rodas trazia em cima uma forca, porém estranha. A Personagem do Arcano 12 estava enforcado de cabeça para baixo. Uma corda no pé direito, e o pé esquerdo com a perna voltada em forma de quatro. E outra corda no pescoço, caindo para baixo em forma de  .´[
V.
Arcano 13
A Grande Mãe
Arcano 14
O Equilíbrio




Um esqueleto sai de dentro de um túmulo móvel, como se tivesse rodas, fazendo um cortejo à frente de JHS. E logo aparece uma árvore coberta de folhagem e frutos: “transformação, geração” disse JHS.
Uma jovem traz uma balança. A concha da esquerda tem uma criança, com um vaso na mão. Na outra, um velho, com um castiçal aceso. Numa tabuleta em forma de forca, mas nunca que fosse tal coisa, estava escrito “Desse metabolismo surgirá o perfeito equilíbrio da vida.”
Arcano 15
A Grande Luz
Arcano 16
A Rebeldia Celeste




Um grande diabo, como se costuma dizer, no centro; ao lado esquerdo ou lunar, um chifre (corno da Lua). Do direito há uma chama vinda do chão. Da cabeça do Diabo saíam três chifres, contrariamente ao conhecimento do Tarô. Chifre e chama eram móveis, vivos, como se fossem seres quaisquer.
A alegoria deste Arcano era um trono, tendo como dossel a própria abóbada celeste. Devas diferentes, em 12 filas (hierarquias?), cercavam o Trono. Abaixo, um Grande Deva gesticulando com uma espada na mão, fez apagar todo aquele quadro, que sumiu na frente de JHS: “Um quadro móvel, diferente dos outros.”
Arcano 17
A Imortalidade
Arcano 18
O Caos




Disse JHS: eu via o Sexto Sistema. Um Sol Central tinha por embrião enorme borboleta, saindo de um Ser de aspecto feminino. Eu tive a impressão que chocava enorme ovo, que, em verdade, era aquele mesmo Sol. Contei-lhe os raios, e em vez de 32 raios eram 48. Compreendi: 8 x 4 = 32, igual ao 4º sistema; 8 x 5 = 40, igual ao 5º sistema; 8 x 6 = 48, igual ao 6º sistema... Neste momento senti que o ovo áurico abrangia todo o globo terrestre, do Pólo Norte ao Pólo Sul.
A Lua dardejando raios violáceos para baixo. Via-se perfeitamente aquele lago de uma velha revelação que dei em Niterói, ou seja, a dos Dragões. E com uma lagosta (escorpião) com braços ou extensores para o céu, como quem ameaça a própria Lua. Dois cães, um negro e um branco, de cada lado, do referido lago, ladravam para a Lua... E dela começou a chover grossas lágrimas, como quem chora as suas desditas. “Que quadro tétrico”, disse JHS, “nesse dia de tão grandes sofrimentos.”
Arcano 19
A Realiza
Arcano 20
O Julgamento




O Sol, dardejando raios dourados, em número de 608, atirava-os para Ele, JHS... Um personagem metade homem, metade mulher, estava montado num Boi, cuja cara à esquerda era preta, e à direita, branca. De repente, essas cores mudavam, ficando à esquerda violeta, e à direita púrpura. Aí é que está o mistério. O Personagem vibrátil, móvel, fantástico, quando se abria na metade, deixava ver a Face de uma criança que também sorria para JHS
Um vasto cemitério, de cujos túmulos saía uma luz violácea, deixava ver por cima um grande Ser cercado de luzes, tendo de cada lado um outro Ser: um verde, outro encarnado. O primeiro trazia uma espada e, o outro, uma palma. O do meio, uma espada ígnea.
Arcano 21
A Libertação
Arcano 22
A Vitória




Esta personagem em nada parece com a do Tarô comum, pois, invés de levar um saco no ombro, vinha montada num cavalo branco. E, atirava moedas para o ar, que voltavam novamente para as suas mãos. Resta meditar sobre a alegoria, que é das mais sublimes
O globo terrestre, completamente ígneo deixava ver nos 4 pontos cardiais os animais da Esfinge. Contrariamente aos outros 21 deixava sair do seu interior música admirável formada por uma síntese da Yoga Universal.



*Meus agradecimentos ao Clube do Tarot.




Nenhum comentário:

Postar um comentário